[Devaneios da Sol] Porque a grama do vizinho é sempre mais verde? - Soraya Abuchaim

00:00 Fernanda Bizerra 18 Comments


Hoje eu queria muito filosofar, acho que estava inspirada, e por isso, trouxe um assunto que está muito presente na nossa vida… afinal, quem nunca caiu na armadilha de achar que a grama do vizinho é mais verde?
O ser humano tem uma mania bárbara de se comparar com todos o tempo todo, isso já não é novidade para ninguém, certo?
Fazemos isso até inconscientemente, mas esse hábito acaba “pegando” e com isso, deixamos de valorizar o que temos e conquistamos.
Um dos fatores que influenciam (e você vão ver que influencia muitos outros comportamentos, claro) é o status da sociedade atual.
Todos estão absolutamente preocupados em TER. Ótimo, ninguém deve ficar no comodismo. Concordo que seria um absurdo a pessoa estacionar (embora muitos estacionem sem nem se dar conta), mas temos que perceber até que ponto é saudável essa busca pelo material.
O problema ainda, é que, estando focado somente no ter, esquecemos do SER!
E como esquecemos… Vejo hoje poucas pessoas preocupadas com as próprias atitudes. Ou às vezes até percebem que tem coisas a melhorar, mas dar o primeiro passo é difícil. Isso acontece comigo também.
Há um abismo entre o autoconhecimento e a mudança real. É difícil, minha gente!!!
Mas se pelo menos sabemos nossos pontos vulneráveis, já é meio caminho andado, concordam? E haja auto terapia! rsrs
Voltando à grama… Quando nos comparamos a alguém, na maioria das vezes estamos condicionados a aceitar o que a nossa mente está nos transmitindo naquele momento. E acreditem… foge bastante da realidade, dependendo de que estado psico-espiritual nos encontramos (lindo isso não? rs).
Ou seja… não conseguimos enxergar a realidade. Caramba! Às vezes a felicidade bate à nossa porta e só conseguimos ver felicidade na porta dos outros. E a nossa fica tristinha, sem ser notada, quase apagadinha…
Com isso, o que acontece? Deixamos até boas oportunidades passarem sem perceber… E a vida vai passando, e só conseguimos ser felizes com o “QUANDO” – quando eu tiver o carro X, a casa no condomínio Y, etc etc.
Mais uma vez, não estou aqui não estou aqui fazendo apologia à vagabundagem kkkk
Estou apenas nos alertando (e acreditem, tudo que escrevo aqui também serve pra mim…) para tomarmos cuidado nos julgamentos sem análise minuciosa, para não cairmos nas armadilhas da nossa própria mente ou situação momentânea.
Não vamos achar que a grama do vizinho é melhor, porque primeiro não sabemos até que ponto essa grama é verdinha, e depois, tudo nessa vida se transforma, tudo passa, o mundo gira…
Importante é buscarmos o melhor com sabedoria, aceitarmos o que a vida nos proporciona naquele momento e entendermos que por mais que haja sofrimento, no final sairemos vitoriosos e de cabeça erguida. Tudo é aprendizado…




Sol
Beijinhos e até a próxima!

18 comentários:

  1. Oi Sol, tudo bem?
    Sabe, acho que no fundo, isso acontece porque as pessoas estão perdidas, não sabem o que querem da vida e se sabem, não sabem como buscar, conseguir. E quando elas percebem o outro, conseguindo, tendo, sendo, elas querem também. Não estou dizendo que não existem aqueles que são invejosos, mas também acredito que existem os perdidos. A vida as vezes é dura e confusa e a pressão da sociedade só piora as coisas.
    Ih, ficou muito sério, risos.... Você começou a divagar e me levou junto, kkkkk....
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Sol,

    Concordo com você, temos que pensar em nós mesmo, nada funciona igual para todo mundo e não pode achar que as coisas vão melhorar fazendo o que você não gosta só porque outro faz, se hoje não esta bom, batalhe que melhora....belo post...abraços.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oiee ^^
    Realmente, as pessoas se importam mais com o ter do que com o ser. Não estou dizendo que eu nunca fiz isso, porque já fiz sim, mas tento evitar ao máximo. Adorei o texto :)
    MilkMilks
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Sol, tudo bom? Adorei o post de hoje, bem reflexivo, né?
    É tão mais fácil se importar com aquilo que palpável, material... Olhar para dentro e viajar em si pode ser perturbador demais, então as pessoas acabam optando pelo caminho mais fácil. Uma pena!

    Beijo grande.

    Thati;
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
  5. É por isso que aprendi uma coisa: não devemos nos comparar aos outros, só ao que já fomos no passado e o que somos agora, é muito mais palpável ver um crescimento nosso ao nós compararmos com nós mesmos, já que se comparar com os outros é falho, pois simplesmente não somos os outros.

    Thoughts-little-princess.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sol!!
    Concordo contigo, muitas vezes acabamos nos comparando aos outros e esquecemos de sermos nós mesmos, né? Parece que o nosso dia-a-dia virou uma simples competição de quem tem mais é mais feliz... Melhor é refletirmos sobre as nossas atitudes e vivermos conforme o que nos faz sentir bem. :)
    Boa reflexão!
    Beijo.
    Karina
    http://daliteratura.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Sol querida tudo bem? Sabe, como boa pensadora que sou me paro para pensar em certas coisas assim, e sua reflexão é mesma que a minha. Tudo é um aprendizado e tudo tem seu tempo, não adianta ficar de olho no que é dos outros ^^ Lindo texto

    Vem conhecer meu cantinho também! Será sempre bem vinda!
    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  8. É verdade, é inevitável as vezes e quase nem notamos. O ser humano é falho e quase sempre não dá valor aquilo que tem.
    Adorei o texto da Sol, cada um tem aquilo que conquistou e que Deus concedeu.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oie! Amei o texto, faz com que paramos para pensar na vida e no que fazemos! Muito bom!
    Bjs, tem promoção no blog http://resenhasteen.blogspot.com.br/2014/07/promocao-de-aniversario-do-paradise_31.html
    se puder comentar nesse post ajudará muito:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2014/07/o-jogo-perfeito.html
    Nay =D

    ResponderExcluir
  10. Ótimo texto e muito bom o alerta. Quando achamos que o do outro é sempre melhor, nunca estamos satisfeitos com o nosso.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Temos que aprender que pensar em nós primeiro é mais inteligente ;)

    bjs
    http://blogvidinhaminha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. É incrível como a "grama do vizinho" é sempre mais verde, bobagem, na maioria da vezes é só coisa que a gente inventa e quanto vamos descobrir não tem nada a ver haha
    http://luludeluxemburgo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo texto, concordo em tudo que disseste!
    Muitos se preocupam com o raio da grama do vizinho ao invés de se preocupar com a sua.
    E realmente, não tem como saber até que ponto ela é verde, então o melhor que temos a fazer é fazermos o que há de melhor para nós mesmos, sem se preocupar em como anda a grama do outro =)

    Um beijão
    Lara - Magia Literária
    http://www.magialiteraria.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi Sol! Seus textos são sempre tão descontraídos e honestos! Muito legal que eles falem de temas que enfrentamos no cotidiano. Quanto ao de hoje, acho que o ser humano tem a alteridade como parte da sua natureza: algo necessário, mas perigoso.

    Dani || A Thousand Lifetimes

    ResponderExcluir
  15. Belas palavras Sol, também concordo que não devemos nos prender a invejar sempre o que o outro tem e pararmos de olhar para a vida dos outros e darmos valor ao que temos.

    ResponderExcluir
  16. Nada na nossa vida será igual a do outro, devemos fazer o nosso caminho e pronto...
    bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi Sol, gostei muito do texto!! Concordo em absolutamente tudo o que você escreveu. As vezes ficamos olhando para a vida dos outros, pensando que é melhor, que ele tem coisas que não temos e acabamos não vendo o que nós somos e não damos valor.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  18. Oi Sol.
    Concordo em tudo que foi dito, queremos sempre ser igual ao outro, ou talvez melhor, e muitas vezes por conta disso mudamos o que somos.

    ResponderExcluir